Números à asiática: a loucura do mercado de smartphones na Índia

A loucura instalou-se nos produtores de smartphones para ver quem conquista uma maior fatia do mercado de smartphones na Índia.

Frenzy

Produtores locais e estrangeiros têm cortado loucamente preços à procura de uma maior fatia de um bolo de, basicamente, 800 milhões de clientes que deverão fazer o upgrade do seu telemóvel convencional a um smartphone nos próximos três anos.

Telemóvel na ìndia

Uma verdadeira corrida à conquista da base da pirâmide económica da Índia, um mercado de smartphones que cresceu em 84% no último trimestre. A descida dos preços de smartphones têm sido vertiginosa. O smartphone mais barato do mercado passou de 15 mil a 2 mil rúpias (cerca de 24 euros) em apenas dois anos.

Índia, com 1,25 mil milhões de habitantes e com cerca de 914 milhões de utilizadores de telemóvel segundo dados oficiais do governo, é também o mercado de smartphones com maior crescimento do mundo e o terceiro em dimensão a seguir aos EUA e à China.

A percentagem de utilizadores de telemóvel com smartphone acabou de ultrapassar os 10%. Este é normalmente o ponto de viragem a partir do qual a velocidade de troca do telemóvel convencional pelo smartphone acelera significativamente, segundo observado em outros países.

Smartphones

Apesar de contar com cerca de um terço dos pobres do mundo, os telemóveis passaram a ser, como todos nós sabemos, um bem de primeira necessidade. E agora os smartphones.

A Mozilla, conhecida entre nós pelo Firefox, explorador open source de Internet, concorrente ao Google Chrome e ao Internet Explorer, é a mais recente entrada no mercado de smartphones indiano. Uma joint-venture da Mozilla e do produtor indiano de telemóveis Intex resultou no lançamento em agosto do Intex Cloud FX, a um preço de venda de 1.999 rúpias, 30% aquém dos preços de venda do Android mais barato. O produto esgotou em poucos dias. A Mozilla espera ter vendido meio milhão de aparelhos até final deste ano.

Intex Cloud FX

A sulcoreana Samsung olha para todos estes desenvolvimentos com receio. Apesar de contar hoje em dia com 30% do mercado de smartphones vai passar a enfrentar a concorrência dos smartphones low-cost e, mesmo dentro do seu segmento de clientes com elevado poder aquisitivo, o produtor indiano Micromax tem usado uma campanha agressiva de publicidade com Hugh Jackman para cativar o público indiano e tem passado a segundo vendedor naquele país, com 18% do mercado de smartphones, em apenas seis anos.

Micromax e Hugh Jackman

Sirva esta história como exemplo do potencial e da dimensão de mercado do continente asiático.

Esta entrada foi publicada em Índia, China, EUA com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s