Japão Mostra as Garras…

No final da Segunda Guerra Mundial, o Japão, numa Constituição que não escreveu pelas suas mãos mas com autoria norte-americana, renunciou ao direito de exercer a guerra, e mesmo ao direito de ter um exército. Em seu lugar, apostou na criação do que chama Forças de Auto-Defesa, mas que não deixa de ser um exército. Só que limitado exclusivamente à defesa do território nacional (embora tenha já participado de intervenções de cariz humanitário ao serviço das Nações Unidas).

091117-N-6233H-098Mas agora a junção de uma ansiedade crescente face às disputas territoriais com a China (e à sua ascensão militar), as ameaças nucleares norte-coreanas e a eleição de um governo em Tóquio considerado conservador e claramente nacionalista promete levar o Japão a repensar a sua posição pacifista.

Shinzo AbeO primeiro-ministro actual Shinzo Abe não esconde as suas preferências, e o orçamento que anunciou apresenta pela primeira vez em 11 anos um aumento das despesas militares. Os seus apelos públicos, face ao que vê como sendo ameaças externas, para a criação de um exército mais forte começa a ganhar apoios na sociedade japonesa, que tem assumido regularmente uma posição de apoio ao status quo.  Abe quer que se proceda a uma interpretação mais lata do que diz a Constituição sobre o que se entende por “auto-defesa” de modo a que inclua a possibilidade de agir em defesa dos seus aliados. Abe argumenta que esta interpretação permitiria ao Japão deitar abaixo qualquer míssil norte-coreano que se dirigisse aos Estados Unidos.

Mas se Washington até vê nesta posição japonesa algo de positivo (e de certa forma seguindo a estratégia que já tinha sido tentada pelo anterior Primeiro Ministro japonês Junichiro Koizumi em 1990s) como forma de fortalecer a sua estratégia de segurança (pivot) para a região, ela está longe de ser bem recebida na região, principalmente pela China e Coreia do Sul.

South Korea Japan War ShrineO passado colonial do Japão na Coreia do Sul e China continua ainda bem vivo e qualquer tentativa de afirmação militar de Tóquio é vista com suspeita e desconfiança.

Japan Members of Parliament visit YasukuniE nada como uma visita parlamentar (e uma oferenda de Abe) ao Templo Yasukuni, um símbolo do antigo Japão militarista, ou as  declarações nacionalistas do Primeiro Ministro para reacender o conflicto com Seul e Pequim.

Sobre Luis Mah

Investigador no Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina (CESA) no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) em Lisboa. Sou também professor auxiliar convidado no Instituto de Estudos Orientais da Universidade Católica Portuguesa (UCP).
Esta entrada foi publicada em China, Coreia do Norte, Coreia do Sul, EUA, Japão. ligação permanente.

2 respostas a Japão Mostra as Garras…

  1. Pingback: Memória Japonesa | O Retorno da Ásia

  2. Anon diz:

    os japas ainda não quitaram sua divida com os povos asiáticos…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s